Quando a intimidade perde totalmente a graça

loading...

51492f3171

No artigo 4 verdades que ninguém lhe contou sobre casamento, expliquei que “as mulheres não precisam de relações íntimas todos os dias nem mesmo os homens. Períodos assim são comuns e normais. Alguns pensam que isso só acontece no período de gravidez e pós-parto ou mesmo em caso de doença, mas muitas vezes sem motivo nenhum também acontece, e isso não significa que a chama tenha se apagado e que nunca mais você terá sexo na vida, a ponto de correr para procurar outra pessoa e colocar tudo a perder. Significa apenas que talvez, esta semana, dormir é mais necessário. Não acredite em todas as estatísticas que dizem que ‘casais felizes fazem sexo 3 vezes por semana’, pois a realidade é bem diferente”.

Todos também sabemos que o sexo não é tudo em um casamento e nem todas as pessoas querem sexo todo o tempo. Mas, é de comum acordo que, se isso se repetir em demasia, alguém se sentirá rejeitado. Ou seja, há uma grande diferença entre se sentir cansado, doente ou ter algum problema físico e simplesmente parar de tomar a iniciativa, rejeitar as tentativas do outro ou parar com o sexo por longos períodos de tempo para um casal que se ama.

Se isso acontece com você, veja se algumas dessas situações se encaixam em seu caso:

  • Você tenta iniciar uma relação e o cônjuge não quer, várias vezes em seguida, o que causa danos profundos em sua autoestima, fazendo-o sentir rejeitado, não atraente, confuso e até desconfiado de que o outro esteja escondendo algo.
  • Você tenta entender, muda de assunto, depois de um tempo tenta conversar numa boa, presta mais atenção no relacionam ento se há algo que esteja mal resolvido, mas chega ao ponto de falar abertamente e a conversa não chega a lugar nenhum e nada muda.
  • Após abrir-se com o outro e dizer como se sente, a intimidade aumenta, mas chega a um ponto onde você sente que o outro faz por obrigação, chegando até muitas vezes a querer algo com rapidez, sem intimidade, conexão ou simplesmente para evitar um divórcio ou traição.
  • Depois de todas as tentativas, você simplesmente, para parar de se sentir rejeitado ou como vingança para que o outro se sinta da mesma forma, para de procurar a pessoa, que também se recolhe ao próprio mundo, ninguém mais fala sobre o assunto, e o casamento esfria e ambos se distanciam de vez.
  • Sua autoconfiança é destruída, você se sente sozinho na maior parte do tempo e obrigado a manter um casamento por causa dos filhos ou outras obrigações. Acha que o casamento está falindo, que houve ou há traição, e até contempla a possibilidade de traição ou divórcio, com pesar ou frustração.
    Reconheceu qualquer coisa?

Isso acontece diariamente entre casais no mundo inteiro. A maior reclamação é dos homens em relação às mulheres. Mas, em vertente crescente a cada dia, estão também as mulheres que se sentem assim porque os homens também agem da mesma forma.

Então o que fazer?

1. Controle-se

Traição não é a solução. Tratar o outro rispidamente e acabar de vez com as chances de intimidade também não resolve. Sair por aí flertando para se sentir vivo, já que a pessoa que deveria lhe fazer sentir assim não colabora também só irá lhe causar problemas maiores. Isso é falta de autoestima. Você é capaz de fazer muito melhor. Leia o artigo Traição e carência – Fortalecendo a autoestima e o autocontrole.

2. Analise-se

Verifique se suas atitudes não estão destruindo o desejo de seu parceiro estar com você. Leia o artigo 10 sinais que você está sabotando seu casamento e veja se algumas dessas coisas não estão acontecendo.

3. Perdoe

Isso não tem nada a ver com religião. As coisinhas do dia a dia numa relação podem construir ou destruir. Principalmente o amor e o desejo do seu cônjuge. Algo que para você diz respeito somente “ao seu jeito de ser”, para o outro talvez demonstre total falta de consideração com o que ele gosta ou pensa. Faça o mesmo.

4. Reveja seus conceitos

Isso não significa que você precisa abaixar seus padrões de nenhuma forma ou fazer algo que não gosta. Significa parar e pensar o que realmente o sexo significa em seu relacionamento. É algo que você coloca como meio ou como fim? Leia o artigo O que Deus quer para os casais em relação ao sexo. Uma vez entendido esse princípio, ambos podem trabalhar na direção de resgatar o relacionamento como um todo.

loading...

5. Resolva os conflitos

Se não há intimidade nem sexual nem espiritual entre o casal, talvez alguns conflitos estejam matando a relação. Conversem aberta e honestamente e tentem resolvê-los. Leia o artigo As 3 principais causas de conflitos no casamento e como evitá-las.

6. Aproximem-se

Se ainda houver pelo menos um mínimo de amor, ambos tentarão com o intuito de melhorar a relação. Leiam juntos o artigo 10 dicas simples para melhorar a convivência no casamento.

7. Invistam na relação e um no outro

Ao contrário do que se entende, não é necessário ter rios de dinheiro para isso, ou mesmo para repetir uma lua de mel. Significa sair da rotina e redescobrir o outro. Para entender melhor esse tópico, leia o artigo 10 razões para ter uma segunda lua de mel com seu amor.

8. Mantenham a amizade

Uma união é muito mais do que sexo. É um laço espiritual entre duas almas que se completam e se esforçam para fazer a coisa funcionar. É agir diariamente com lealdade e dedicação. Leia o artigo 6 soluções definitivas para melhorar a comunicação no casamento e coloquem cada item em prática todos os dias.

E por fim, vivam um para o outro e para a linda vida familiar que estão construindo. O sexo é importante em uma relação e é a única coisa que um casamento traz que você não tem, pelo menos não deve ter, com qualquer outra pessoa além do seu cônjuge. Então dediquem-se mais a isso se quiserem fazer o outro feliz. Consequentemente sua felicidade também aumentará.

É importante lembrar que, se houver problemas emocionais envolvidos, terapia individual e/ou de casal são aconselháveis, e muitas vezes é difícil carregar o peso da paciência obrigatória enquanto o outro descobre problemas que já foram conversados muitas vezes antes. Se houver problemas médicos, um tratamento e solução do problema é necessário. Se houver qualquer outro problema ou preocupação interferindo, é mandatório que seja aberto, resolvido e conversado para a preservação do casamento e da família. Se você sente que já fez tudo isso e o outro não, se já tentou de tudo e nada mudou, talvez seja hora de tomar uma decisão e comunicar ao cônjuge que talvez só então perceberá a seriedade do assunto e começará a mudar, ou verificar se não há outra coisa envolvida, como depressão, ou qualquer outro tipo de sentimento ou doença que precisa ser tratado.

Buscar outra pessoa, divorciar-se, trocar de vida não resolverá o problema, que apenas será transferido para outra pessoa mais cedo ou mais tarde. Cuide de sua autoestima o máximo que puder e conte suas bênçãos. O problema entre vocês poderia ser bem pior.

Vimos em: familia.com.br

loading...

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *